Matriz de Aspectos e Impactos Ambientais como Ferramenta de Evidenciação de Contingências Ambientais

Diene Hellmann Pereira, Luiz Felipe Ferreira, Maíra Melo de Souza, Denize Demarche Minatti Ferreira

Resumo


Empresas que, em decorrência de suas atividades, causam impactos ao meio ambiente podem incorrer em contingências ambientais. Dependendo da extensão do impacto e da probabilidade da empresa vir a desembolsar valores futuros para fazer face às obrigações decorrentes, as normas de contabilidade determinam as situações em que a empresa deverá divulgar tais acontecimentos, em notas explicativas. Visando contribuir com esse tema, o presente artigo teve por objetivo verificar como uma matriz de aspectos e impactos ambientais pode contribuir para a evidenciação contábil das contingências ambientais em postos revendedores de combustíveis. Para consecução deste estudo, utilizou-se uma matriz formada por um conjunto de informações acerca dos aspectos de impactos ambientais que considera a abrangência, a gravidade e a frequência de ocorrência de cada situação analisada. Os resultados demonstraram que as situações de impactos ambientais no meio empresarial podem ser acompanhadas por meio da matriz de aspectos e impactos ambientais e que essa ferramenta pode contribuir no julgamento de quais informações são passíveis de divulgação nas notas explicativas.


Palavras-chave


Evidenciação Contábil, Contingências Ambientais, Postos de Combustíveis.

Referências


ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas (1996). Sistemas de gestão ambiental – Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio. NBR ISO 14.001. Rio de Janeiro: ABNT. 32 p.

Belkaoui, A. (1976). The impact of the disclosure of the environmental effects of organizational behavior on the market. Financial Management (pré-1986), Winter; (5,4), ABI/INFORM Global, 26.

Brasil (2000). Portaria ANP nº 116, de 05 de julho de 2000. Retrieved from http://licenciamento.cetesb.sp.gov.br/Servicos/licenciamento/postos/legislacao/ Portaria_ANP_116_2000.pdf. Acesso em 29 mar. 2011.

Buccina, S.; Chene, D.; Gramlich, J. (2013). Accounting for the environmental impacts of Texaco’s operations in Ecuador: Chevron’s contingent environmental liability disclosures. Accounting Forum, 37, 110-123.

Burnett, R. D.; Hansen, D. R. (2008) Ecoefficiency: defining a role for environmental cost management. Accounting, Organizations and Society, 33(6), 551-581.

Calixto, L., Barbosa, R. R., Lima, M. B. (2007) Disseminação de informações ambientais voluntárias: Relatórios contábeis versus internet. R. Cont. Fin. da USP, Edição 30 Anos de Doutorado, p. 84-95, 2007.

Carreira, F.; Mata, C.; Pereira, F. (2011) O Relato ambiental das empresas com impacto ambiental critico integrantes do PSI 20. XIII Congresso de Contabilidade e Auditoria. Cidade do Porto/Portugal, maio.

Cho, C. H., Roberts, R. W., Patten, D. M. (2010). The language of US corporate environmental disclosure. Accounting, Organizations and Society, 35, 431–443.

Comitê de Pronunciamentos Contábeis. Pronunciamento Técnico CPC 25. Provisões, passivos contingentes e ativos contingentes, de 26 de junho de 2009. Retrieved from http://www.cpc.org.br/pdf/CPC_25.pdf. Acesso em: 01 mar. 2011.

CONAMA – Ministério do Meio Ambiente/Conselho Nacional do Meio Ambiente (2000). Resolução CONAMA nº 273, de 29 de novembro de 2000. Retrieved from http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res00/res27300.html. Acesso em: 29 mar. 2011.

CONSEMA - Conselho Estadual de Meio Ambiente. Resolução CONSEMA Nº 003, de 29 de abril de 2008. Disponível em: . Acesso em: 16 de novembro de 2014.

Du, N., Stevens, K. (2011). Numeric-to-verbal translation of probability expressions in SFAS 5, Managerial Auditing Journal, 26, 248-262.

Epstein, M. J.; Freedman, M. Social disclosure and the individual investor. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 7(4), 94-109.

Ferreira, D. D. M.; Ferreira, L. F.; Sant’Anna, F. S. P. (2007). Aplicação do fator de ponderação do impacto ambiental estudo de caso: Empresa de terraplenagem e transportes Augusto LTDA. Anais ... IX ENGEMA – Encontro Nacional Sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente. Curitiba, 19 a 21 de novembro.

Freedman, M., Jaggi, B. (1986). An analysis of the impact of corporate pollution disclosures included in annual financial statements on investors decisions. Advances in Public Interest Accounting, 1, 193–212.

Freitas, D. P. S., Oleiro, W. N. (2011) Contabilidade ambiental: A evidenciação nas demonstrações financeiras das empresas listadas na BM&FBOVESPA. REUNIR – Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, 1, 2, 65-81, 2011.

Gray, R. (2010) Is accounting for sustainability actually accounting for sustainability … and how would we know? An exploration of narratives of organisations and the planet. Accounting, Organizations and Society, (35), 47-62.

Harte, G., Owen, D. (1991). Environmental disclosures in the annual reports of British companies: a research note. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 4(3), 51-61.

Hughes, S. B., Anderson, A., Golden, S. (2001). Corporate Environmental disclosures: are they useful in determining environmental performance? Journal of Accounting and Public Policy, 20, 217-240.

Ingram, R. W., Frazier, K. (1980). Environmental performance and corporate disclosure. Journal of Accounting Research, 18(2), 614-622.

Iudícibus, S. (2009). Teoria da contabilidade. 9ª ed. São Paulo: Atlas.

Loureiro, C. de O.; Oliveira, L. I. de; Rodrigues O. de O. A.; Costa, W. D. (2002). Postos distribuidores de combustíveis e o problema ambiental em Belo Horizonte. XII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, Florianópolis, Santa Catarina.

Martins, E.; Ribeiro, M. S. (1995). A informação como instrumento de contribuição da contabilidade para a compatibilização do desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente. Revista Interamericana de Contabilidade, 60, 31-40, out/dez.

Melo, J. J. (1999). Desenvolvimento sustentável versus crescimento a todo o preço - uma avaliação multiobjectivo das soluções para o novo atravessamento do Tejo em Lisboa. Lisboa. Textos Ambiente e consume. II Volume. Retrieved from http://www.diramb.gov.pt /data/basedoc/ FCH_9233_D.htm#1. Acesso em 27/06/2006.

MMA – (Ministério do Meio Ambiente). Caderno de Licenciamento Ambiental. p. 17, 2009. Disponível em: http://www.mma.gov.br. Acesso em 16 de novembro de 2014.

Poeta, F. Z.; Von Knoblauch, S. C. A.; Borba, J. A. (2011). Um estudo acerca da evidenciação das contingências nas maiores empresas de capital aberto do Brasil de acordo com o IAS 37. XIII Congresso de Contabilidade e Auditoria. Cidade do Porto/Portugal, maio.

Razeed, A., Considine, B. (2002). Green companies – do they exist on the web? Retrieved from www.aaanz.org/Web2002/accepted%20_papers/razeeda.pdf. Acesso em 15 dez. 2013.

Ribeiro, A. M., Nascimento, L. F., Van Bellen, H. M. (2009). Evidenciação ambiental: uma análise comparativa multissetorial entre Brasil, Estados Unidos e Inglaterra. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 7 (1), 07-22, jan./jun.

Ribeiro, M. S. (2006). Contabilidade ambiental. São Paulo: Saraiva.

Rocha, S. P. B.; Silva, G. C. S.; Medeiros, D. D. (2004). Análise dos impactos ambientais causados pelos postos de distribuição de combustíveis: uma visão integrada. XXIV Encontro Nac. de Eng. de Produção - Florianópolis, SC. 03 a 05 de nov.

Rosa, C. A; Ferreira, D. D. M.; Borba, J. B.; Vicente, E. F. R. (2013). As contingências ambientais das empresas brasileiras. In Interamerican Conference On Social And Environmental Accounting South America. Anais... III CSEAR. Belém.

Seiffert, M. E. B. (2011). Gestão ambiental: instrumentos, esferas de educação e ação ambiental. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2011.

Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Derivados de Petróleo e Lojas de Conveniência do Estado do Paraná – SINDI. (2004) Cartilha de licenciamento de postos. Retrieved from http://www.mma.gov.br/estruturas/sqa_pnla/_arquivos/ cartilha.pdf. Acesso em: 27 de março de 2014.

Souza, C. P. (2009). Avaliação e valoração dos impactos ambientais no processo de operação de postos revendedores de combustíveis. 2009. 182 f. Dissertação (Mestre em Ciências) Curso de Pós-graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Von Knoblauch, S. C. A. (2010). Um estudo acerca da evidenciação das contingências nas maiores empresas de capital aberto do Brasil. 83 f. Monografia (Bacharel em Ciências Contábeis) Curso de Ciências Contábeis, Departamento de Ciências Contábeis, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

Wiseman, J. (1982). An evaluation of environmental disclosures made in corporate annual reports. Accounting, Organization and Society, 7(1), 553-563.


Texto completo: PDF



Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional