Estudo da Mobilidade Urbana no Contexto Brasileiro

Nelson Avella Netto , Heidy Rodriguez Ramos

Resumo


O tema da mobilidade urbana normalmente é compreendido de forma segmentada e restrita a pontos de engenharia de tráfego e política tarifária, contemplando recentemente relações com os problemas ambientais. O objetivo deste artigo foi alcançar uma visão sistêmica e entender como o tema se relaciona também com aspectos sociais, culturais, históricos, econômicos e de saúde. Foi utilizada uma metodologia abrangendo uma pesquisa bibliográfica, entrevistas com especialistas e uma análise transversal das mesmas, tendo como finalidade analisar o contexto da mobilidade urbana e apresentar tendências e caminhos para uma abordagem mais sustentável. O resultado foi que a crise atual, gerada pelo desenvolvimentismo urbano desenfreado baseado na política consumista e rodoviarista, e evidenciado não apenas pela imobilidade crítica constatada nas cidades como também pelas manifestações da sociedade, coloca o tema no centro das discussões. Foram indicadas tendências e caminhos sustentáveis para que a mobilidade urbana seja uma variável que contribui para o bem-estar das pessoas, distribuindo mais equanimemente oportunidades e renda, bem como preservando o ecossistema do planeta. Conclui-se que o cenário apresenta boas perspectivas para promover uma ampla discussão, voltada para a melhoria da qualidade da mobilidade urbana, e transformações consistentes são possíveis através da mudança de consciência das pessoas.

Palavras-chave


Mobilidade Urbana; Sustentável.

Referências


ANTP. (2007). Caderno de Referência para Elaboração de Plano de Mobilidade Urbana. Ministério das Cidades. Disponível em: www.cidades.gov.br/images/stories/ArquivosSE/planmob.pdf. Acessado em: 17 jul. 2015.

ANTP (2014). Relatório Comparativo 2003/2012 – Sistema de Informações da Mobilidade Urbana da ANTP. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&uact=8&ved=0CB0QFjAAahUKEwjihqmMwebIAhUG6SYKHXACCi4&url=http%3A%2F%2Fwww.antp.org.br%2Fwebsite%2Fprodutos%2Fsistema-de-informacaoes-da-mobilidade%2Fshow.asp%3FppgCode%3DD90B394F-706E-40A8-A286-EBEA56C05A0B&usg=AFQjCNFxkFbCYRpQ3M8kDMBIvzys_zDDDg&sig2=s22fKisEXR1r_GsDg7FBiA. Acessado em: 03 mar. 2015.

Braga, A., Pereira, L. A. A., Böhm, G. M., & Saldiva, P. (2001). Poluição atmosférica e saúde humana. Revista USP, n. 51, 58-71.

Brasil. (2012). Lei n. 12587, de 3 de janeiro de 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana... Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 4 jan. 2012. Seção 1, p. 1-3.

Costa, M. D. S. (2003). Mobilidade urbana sustentável: um estudo comparativo e as bases de um sistema de gestão para Brasil e Portugal. Dissertação (Mestrado) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos.

Gehl, J. (2013). Cidades para pessoas. São Paulo: Perspectiva.

Hannama, K., Shellerb, M. & Urryc, J. (2006). Mobilities, Immobilities and Moorings. Mobilities. Issue 1. Pág 1-22. DOI: 10.1080/17450100500489189

IBOPE. (2009). Indicadores de Percepção da Cidade de São Paulo. Disponível em: http://www.ibope.com.br/pt-br/conhecimento/relatoriospesquisas/Lists/RelatoriosPesquisaEleitoral/OPP%20082204%20-%20Movimento%20Nossa%20S%C3%A3o%20Paulo%20-%20indicadores.pdf. Acessado em: 28 maio 2015.

IBOPE. (2016). Pesquisa de Opinião Pública – Job0268-1/2016. Disponível em: http://www.ibopeinteligencia.com/arquivos/JOB_0268-1_S%C3%83O%20PAULO%20-%20Relat%C3%B3rio%20de%20tabelas%20%28divulga%C3%A7%C3%A3o%29.pdf

IPEA. (2003). Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito nas aglomerações urbanas. Brasília, DF, 2003. Disponível em: https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&uact=8&ved=0CBwQFjAAahUKEwjyl8rm7ufIAhVD7iYKHVNbDYA&url=http%3A%2F%2Fwww.antp.org.br%2F_5dotSystem%2Fdownload%2FdcmDocument%2F2013%2F04%2F27%2F2F53A25B-BC5F-4AA3-817E-ACF6E3F7AD0C.pdf&usg=AFQjCNEKHq7a3yta4wsj2SbyEvhSLy-w0g&sig2=RVeWey7nqIyiJF6vH6TwaQ&bvm=bv.106130839,d.eWE. Acessado em: 19 abr. 2015.

Köche, J. C. (1997). Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14ª Ed. Petrópolis: Vozes.

Leite, C.; Awad, J. di C. M. (2012). Cidades Sustentáveis, Cidades Inteligentes: Desenvolvimento Sustentável num planeta urbano. Porto Alegre: Bookman.

Ministério da Saúde. (2007). DATASUS. Informações de Saúde. Mortalidade por acidentes de transporte terrestre no Brasil, 2007. Disponível em: https://www.google.com/url?q=http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/livro_mortalidade_transito.pdf&sa=U&ved=0CAQQFjAAahUKEwiBt7nQxObIAhUBVD4KHdSmBlE&client=internal-uds-cse&usg=AFQjCNEfP1OamUmFXVULft_ovxMlASsLmA. Acessado em: 07 fev. 2015.

Pereira, R. H. M., & Schwanen, T. (2013). Tempo de deslocamento casa-trabalho no Brasil (1992-2009): diferenças entre regiões metropolitanas, níveis de renda e sexo (No. 1813). Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Saldiva, P. (2010). Meio ambiente e saúde: o desafio das metrópoles. Ex-Libris.

Terán, J. A. (2013). Mobilidade Urbana Sustentável, São Paulo: Editora Scortecci.

Terán, J. A. (2014). Mobilidade Urbana. Disponível em: http://www.antp.org.br/_5dotSystem/download/dcmDocument/2013/10/07/A43BE49C-2C57-4041-A76B-512970CB24FC.pdf. Acessado em: 28 mar. 2015.

Vasconcellos, E. A. D., Carvalho, C. H. R. D., & Pereira, R. H. M. (2011). Transporte e mobilidade urbana. Brasília, DF: CEPAL. Escritório no Brasil/IPEA, 2011. (Textos para Discussão CEPAL-IPEA, Vol. 34).

WBCSD. (2004), Mobility 2030: Meeting the challenges to sustainability. Disponível em: http://wbcsdpublications.org/project/smp2-0-sustainable-mobility-indicators-2nd-edition/ Acessado em: 20 jun. 2016.


Texto completo: PDF



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-9834

Rua Vergueiro, 235/249 - Liberdade, São Paulo - SP (Brasil), Cep: 01504-000

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional